Mectrol - Automação Industrial - News - Notícias - Instruções para Lubrificação dos Fusos de Esferas

Instruções para Lubrificação dos Fusos de Esferas

Instruções para Lubrificação dos Fusos de Esferas

Os Fusos de Esferas devem ser cuidadosamente limpos, em aguarrás e óleo para proteger contra corrosão. Tricloroetileno é um desengraxante recomendado que garante as esferas uma pista livres de sujeira e danos (parafina não é suficiente). Deve-se tomar muito cuidado para que nenhum componente ou ferramenta afiada atinja a pista das esferas e os fragmentos metálicos entrem na castanha (Figura. 4.1).Selecione o grau adequado do fuso de esferas para sua aplicação. Regras para montagens correspondentes com a instalação. Ou seja, para máquinas-ferramentas CNC as superfícies exigem fusos de esferas com alinhamento preciso e mancais para fixação, para aplicações em máquinas de embalagens utiliza-se fusos laminados de menores precisões além de mancais para fixação. É extremamente importante eliminar o desalinhamento entre o centro do eixo e da castanha, pois resulta em cargas desiquilibradas. Cargas desiquilibradas incluem cargas radiais e momentos de cargas. Este que podem causar mau funcionamento e reduzir a vida útil (Figura 4.2a).Selecione o grau adequado do fuso de esferas para sua aplicação. Regras para montagens correspondentes com a instalação. Ou seja, para máquinas-ferramentas CNC as superfícies exigem fusos de esferas com alinhamento preciso e mancais para fixação, para aplicações em máquinas de embalagens utiliza-se fusos laminados de menores precisões além de mancais para fixação. É extremamente importante eliminar o desalinhamento entre o centro do eixo e da castanha, pois resulta em cargas desiquilibradas. Cargas desiquilibradas incluem cargas radiais e momentos de cargas. Este que podem causar mau funcionamento e reduzir a vida útil (Figura 4.2a).


A seleção de lubrificação diretamente influenciar o aumento de temperatura do parafuso de esferas. O requisito básico viscosidade do óleo depende da velocidade, temperatura de trabalho, e na condição de carga do aplicação.
Uma generalização é para dizer que, quando o velocidade de trabalho é maior e a carga de trabalho é inferior, utilizando um óleo de viscosidade mais baixa é melhor. isto é inversamente
proporcional. Em alta velocidade e carga pesada aplicações de arrefecimento forçado pode ser necessário.

Para alcançar o máximo de vida útil dos fusos de esferas, recomendamos o uso de óleo antifricção para rolamentos. Óleo com grafite e aditivos MoS2 não devem ser usados.
O óleo deve ser mantido nas esferas e na pista das esferas. Lubrificação aos poucos ou submersão são aceitáveis. No entanto, é recomendado a aplicação direto na castanha (Figura 4.2). A lubrificação direta no fuso não é suficiente.

• Lubrificação
Recomendamos que você utilize uma graxa à base de óleo mineral com qualidade K2K, DIN 51825. Se a carga for superior a 10% da capacidade de carga dinâmica, recomendamos utilizar graxas com suplementos para pressão extrema (KP2K, DIN 51825). Para alta velocidade (Valor DN > 50.000) sugerimos que você utilize graxas com qualidade K1K ou KP1K. Um valor de DN inferior a 2.000 necessita de uma graxa que tenha consistência de classe 3 (K3K ou KP3K, DIN 51825). NÃO utilize graxas com especificações diferentes. O período de lubrificação depende das condições do ambiente. Geralmente, é necessário lubrificar todos os fusos de esferas que tenham um tempo de execução entre 200-600 horas. O fator determinante para a re-lubrificação é: de 0,7-0,8cm³ de graxa para cada 10mm do diâmetro do eixo para castanhas simples. 1cm³ de graxa para cada 10mm do diâmetro do eixo para castanhas duplas. Divida a quantidade de graxa em 2-3 partes e movimente a castanha por aproximadamente 3 vezes o comprimento da mesma enquanto lubrifica, para assegurar que a castanha fique completamente lubrificada.

• Óleo
Para lubrificação com óleo, são adequados os óleos da classe CL (DIN 51517 part 2). Em temperatura de operação, o óleo deve ter viscosidade de 68-100mm²/s. Para alta velocidade (Valor DN > 50.000) recomendamos óleos com viscosidade classe ISSO VG 150-460. Se a carga for superior a 10% da capacidade de carga dinâmica, recomendamos óleos com suplementos para aumento de capacidade de carga (classe CLP, DIN 51517 part 3). No caso de lubrificação por banho de óleo, o eixo deve ser fixado de 0,5-1,0mm acima do nível do óleo. A alimentação do óleo pelo sistema de lubrificação circular deve ser de 3-8cm³/h para cada volta da esfera.

Nota Importante:
A menos que indicado de outra forma, fusos de esferas são enviados com graxa anti-corrosão e devem ser lubrificados antes de ligar a máquina pela primeira vez.
 

Modelos Fusos de Esferas HIWIN: R16-5B2-FSW-400-650-0.008 R16-5B2-FSW-600-850-0.008 R16-5B2-FDW-400-650-0.008 R16-5B2-FDW-600-850-0.008 R16-5T3-FSI-400-650-0.008 R16-5T3-FSI-600-850-0.008 R20-5B2-FSW-500-750-0.008 R20-5B2-FSW-700-950-0.008 R20-5B2-FDW-500-750-0.008 R20-5B2-FDW-700-950-0.008 R20-5T3-FSI-500-750-0.008 R20-5T3-FSI-700-950-0.008 R25-5B2-FSW-500-750-0.008 R25-5B2-FSW-700-950-0.008 R25-5B2-FDW-500-750-0.008 R25-5B2-FDW-700-950-0.008 R25-5T3-FSI-500-750-0.008 R25-5T3-FSI-700-950-0.008 R25-10B1-FSW-600-850-0.008 R25-10B1-FSW-800-1050-0.008 R25-10B1-FDW-600-850-0.008 R25-10B1-FDW-800-1050-0.008 R25-10T3-FSI-600-850-0.008 R25-10T3-FSI-800-1050-0.008 R32-5B2-FSW-700-950-0.008 R32-5B2-FSW-1000-1250-0.008 R32-5B2-FDW-700-950-0.008 R32-5B2-FDW-1000-1250-0.008 R32-10B1-FSW-700-950-0.008 R32-10B1-FSW-1000-1250-0.008 R32-10B1-FDW-700-950-0.008 R32-10B1-FDW-1000-1250-0.008 R32-10B2-FDW-700-950-0.008 R32-10B2-FDW-1000-1250-0.008 R32-10B2-FSW-700-950-0.008 R32-10B2-FSW-1000-1250-0.008 R40-5B2-FSW-700-950-0.008 R40-5B2-FSW-1000-1250-0.008 R40-5B2-FDW-700-950-0.008 R40-5B2-FDW-1000-1250-0.008 R40-10B2-FSW-700-950-0.008 R40-10B2-FSW-1000-1250-0.008 R40-10B2-FSW-1300-1550-0.008 R40-10B2-FDW-700-950-0.008 R40-10B2-FDW-1000-1250-0.008

topo